Machado de Assis, Internet e humor

5 04 2011

Texto: Caroline Soares – Coord. Produção e Comunicação ICA, com informações de Carlos Correia.


Peça usa diversos recursos para aproximar o público das obras de Machado de Assis

Em 2008, o país comemorou o centenário de morte de Machado de Assis, considerado um dos melhores escritores brasileiros de todos os tempos. Suas obras são repletas de personagens complexos, que vão desde a misteriosa Capitu, de Dom Casmurro, até Brás Cubas, que recheia as páginas de Memórias Póstumas de Brás Cubas com seus comentários sarcásticos pós-túmulo.

Embora o autor, um dos fundadores da Academia Brasileira de Letras, seja reconhecido pelo meio intelectual brasileiro até os dias atuais, o grande público ainda apresenta dificuldade de acesso às obras machadianas. O ritmo frenético da vida da maioria da população se torna um obstáculo à leitura, uma atividade que exige tempo e reflexão.

Pensando em uma solução para aproximar o gênio da literatura brasileira ao público, foi produzida a peça O Assassinato de Machado de Assis, uma “comédia policial” que estreia dia 8 de abril no Teatro Cláudio Barradas. Escrito pelo dramaturgo Carlos Correia, o espetáculo usa o teatro como estratégia para levar a literatura às pessoas: com cenas de humor e mistério, os personagens de várias obras machadianas são apresentados à plateia.

Personagens de várias obras se tornam suspeitos do crime

A história começa com Capitu conversando com o detive Queiroz para revelar que Machado de Assis não morreu de causas naturais. Segundo a personagem, o autor foi, na verdade, assassinado. A partir dessa afirmação, toda a história começa a se desenrolar na tentativa de resolver o mistério.

Os suspeitos são os outros personagens das obras de Machado de Assis, como Simão Bacamarte, o cientista em busca da loucura, de O Alienista. Os motivos que levaram ao assassinato também são um mistério: seria inveja ou maldade? Mais do que tentar responder a essas perguntas, o espetáculo propõe uma apresentação sutil e divertida do universo machadiano.

Internet aumenta suspense

Além da peça, a produção do espetáculo, o Coletivo  Parla Palco, usa a internet como estratégia de aproximação com a população. A todo o momento, o perfil no twitter dá dicas sobre o possível responsável pela “morte” de Machado de Assis e o blog publica “opiniões” dos personagens suspeitos, provocando e envolvendo o público em torno da trama.Clique aqui. Para acompanhar os tweets e clique aqui para ler o blog.

  • Serviço

Espetáculo O Assassinato de Machado de Assis

Teatro Universitário Cláudio Barradas (Jerônimo Pimentel, 546)

Dias 8, 9, 10, 15, 16 e 17, às 21h.

Ingresso: R$ 20,00





Show internacional no Cláudio Barradas

15 03 2011

Texto: Site Aliança Francesa

Foto: AF de Porto Alegre

No dia 24 de março às 20h, Belém terá a honra de receber a cantora Berry, ícone da música pop-folk francesa. Ela terá apresentação única no Teatro Universitário Cláudio Barradas e seu show faz parte da turnê que fará pelo Brasil, promovida pela Aliança Francesa de Belém. Além da capital paraense, Berry também passará por São Paulo, Brasília, Recife e Porto Alegre.

Em fevereiro de 2008, lançou seu primeiro álbum, Mademoiselle, e em dezembro do mesmo ano foi premiada com o Disque d’or (Disco de Ouro), devido o grande sucesso em toda a França. Suas músicas falam de amor, felicidade, de situações simples da vida. Embaladas por uma sonoridade serena, as letras são compostas pela própria Berry, juntamente com o compositor de jazz Manou e o violinista Lionel Dugdonon, e deram ao álbum Mademoiselle um caráter jovem, marcado pela ausência de preocupações e pela valorização dos momentos únicos e efêmeros da vida.

Em 28 de junho de 2008, o single consegue sua melhor posição no ranking Top da França, obtendo a categoria nº 34 entre as canções mais tocadas nas rádios do país. No mesmo ano, Berry recebe o prêmio Coup de Coeur, da Academia Charles-Cross, por conta do sucesso do álbum, que mais tarde lhe rendeu o Disque D’or.

O objetivo é despertar o interesse do público na cultura da França e promover o intercâmbio cultural entre os dois países. Os ingressos serão vendidos na sede da Aliança Francesa de Belém, na bilheteria do Teatro Cláudio Barradas, com o valor de R$ 30,00. Para quem aprecia música internacional de qualidade, a oportunidade é única.

  • Serviço:

Show da cantora Berry
Data: 24/03/11
Hora: 20h
Local: Teatro Cláudio Barradas (Rua Jerônimo Pimentel, 546, esq. com Dom Romualdo de Seixas)
Valor do Ingresso: R$ 30,00





Formatura dos cursos técnicos

26 01 2011

Texto: Caroline Soares – Coordenação de Produção e Comunicação ICA/UFPA

Fotos: Davi Almeida – ETDUFPA

Turma do curso técnico de teatro fez questão de vestir beca. Foto: Davi Almeida

Na noite da última sexta-feira (21) aconteceu no Teatro Universitário Cláudio Barradas a formatura das turmas dos cursos técnicos da Escola de Teatro e Dança da Universidade Federal do Pará (ETDUFPA). Alunos de teatro, dança e cenografia participaram da solenidade, que também contou com a presença da direção do ICA, formada pelo Prof.Dr Celson Gomes e pela Profa.Dra. Bene Martins. Também estiveram presentes a direção da ETDUFPA e os coordenadores dos cursos técnicos.

As formaturas anteriores foram marcadas pela descontração: alunos fantasiados, maquiados, com roupas coloridas. Mesmo com esse  humor  típico dos estudantes, a formatura deste ano foi marcada pela seriedade: “Nós tivemos a presença de um cerimonial, os alunos de teatro fizeram questão de usar a beca, como os formandos de outras graduações. Além disso, é a primeira vez que nós tiramos fotos oficiais das turmas.”, afirma a diretora da ETDUFPA, Profa. Inês Ribeiro.

Mesa formada por (esq p/ dir) Aníbal Pacha, coordenador do curso de cenografia; Ana Cristina Cardoso, coordenadora de dança; Bene Martins, diretora adjunta do ICA; Celson Gomes, diretor do ICA; Inês Ribeiro, diretora da ETDUFPA; Ana Flávia Mendes, vice-diretora da ETDUFPA e Iara Souza, coordenadora dos cursos técnicos.

Entre os alunos que se formaram, muitos fazem teatro ou dança desde a infância. É o caso de Ana Carolina Nunes, que desde os 6 anos estuda teatro, se formou no curso técnico e agora faz licenciatura na área. Segundo a diretora, é muito gratificante acompanhar essa trajetória: “Nós ficamos com muito orgulho de ver esses alunos que estão aqui desde quando eram crianças e que agora concluem o técnico. Muitos vão até adiante, fazendo os cursos superiores”.

A expectativa para a formatura do próximo ano é de que cada vez mais alunos se formem “O curso não está tendo muita evasão e nós ficamos com a casa cheia na última sexta. Queremos oferecer mais coisas no ano que vem, com book fotográfico das turmas, entre outras coisas.”, informa a diretora.

O ICA oferece cursos técnicos nas áreas de teatro, dança e música. As inscrições são abertas ao público e acontecem até o dia 28/01 na ETDUFPA. Para saber mais, clique aqui.

Texto disponível em: http://www.ica.ufpa.br





TUCB lança DVDs da série Ribalta

15 12 2010

Texto e fotos: Caroline Soares


Foram seis meses de produção até o lançamento dos dois DVDs da Série Ribalta, realizado na segunda-feira, 13, em um coquetel, no Teatro Universitário Cláudio Barradas, da Universidade Federal do Pará (UFPA). O evento contou com a presença dos dois ilustres homenageados, o ator e diretor Cláudio Barradas e a professora de Dança Eni Corrêa, os quais autografaram as obras.

Uma das idealizadoras do projeto, a diretora Margaret Refkalefksy,  fez um discurso emocionado sobre o papel do Teatro Cláudio Barradas na comunidade. “Nós enfrentamos muitos obstáculos para construir este espaço, mas, graças à ajuda e contribuição de várias pessoas e de setores da Universidade, conseguimos cumprir nosso objetivo. Hoje, o teatro recebe montagens ousadas e permite trocas de experiências estéticas entre os artistas e o público.”

Profa. Eni Corrêa autografa DVDs

Além de artistas e amigos dos homenageados, o evento reuniu professores e estudantes da Escola de Teatro e Dança da UFPA (ETDUFPA). “O lançamento destes DVDs é importante porque celebra a nossa arte, genuinamente paraense, produzida por duas pessoas muito relevantes das artes cênicas.”, diz o estudante do curso técnico de Cenografia, Alex Blanco.

Para a pesquisadora e professora da ETDUFPA, Wlad Lima, o Projeto Ribalta é muito importante para a documentação da história do teatro e da dança no Pará. “Durante muito tempo, reclamávamos que, quando saía alguma publicação nacional sobre as artes cênicas, ninguém falava do Pará. Hoje, ‘acordamos’ e percebemos que nós temos que escrever a nossa própria história,” ressalta a pesquisadora. “Os DVDs do Projeto Ribalta possuem um grande potencial para contribuir com o conhecimento acadêmico e devem ser usados como recurso didático, como fonte de pesquisa. Para isso, é necessário que eles sejam disponibilizados o quanto antes na internet.”

Cláudio Barradas e João Jesus de Paes Loureiro

História – O Projeto Ribalta consiste na gravação de programas, nos quais uma figura importante para as artes cênicas é entrevistada por outras personalidades da área, simulando um programa de TV. O objetivo é documentar a memória da dança e do teatro paraenses.

O depoimento de cada personalidade forma mosaicos de tudo o que foi produzido nos últimos 30 anos no Pará. Além da entrevista, os DVDs também contam com extras, depoimentos de outros nomes importantes, fotos e recortes históricos de jornais.

A primeira edição teve como convidado o ator e diretor Cláudio Barradas, e a segunda, a professora de Dança Eni Correa. Ambos tiveram papel importante no desenvolvimento das artes cênicas no Pará, trazendo inovações técnicas, teóricas e estéticas.

Notícia também disponível em: http://www.portal.ufpa.br/imprensa/noticia.php?cod=4331





País das maravilhas nos palcos do TUCB

30 11 2010

Texto: Caroline Soares, com informações do grupo.

Depois de passar pelo cinema no início desse ano, Alice no País das Maravilhas ganha uma nova versão, só que dessa vez para os palcos do Teatro Universitário Cláudio Barradas. “Era uma vez Alices” assume o estilo nonsense do texto original e mostra o ponto de vista das crianças do elenco sobre a famosa obra de Lewis Carroll.

A adaptação de Bárbara Pismel, aluna do Teatro Infanto-Juvenil da Escola de Teatro e Dança da UFPA, narra a história da menina Alice pelo mundo do faz-de-conta infantil. Por trás dos acontecimentos ilógicos que a personagem encontra nesse outro mundo, se encontra uma verdadeira metáfora: a passagem da infância para a fase adulta. O espetáculo conta com muito humor os absurdos próprios da história original e ainda adiciona o estilo “contação de história infantil” ao enredo. Não perca!

  • Serviço

Era uma vez Alices

Teatro Universitário Cláudio Barradas

(Jerônimo Pimentel, 546)

2 e 3/12, às 20h

4 e 5/12, às 19h





Fotos do Teatro – Nova seção

18 11 2010

Diretora Margaret Refkalefsky e o consagrado ator, diretor e dramaturgo Cláudio Barradas. Foto tirada na inauguração do TUCB.

O blog do Teatro Universitário Cláudio Barradas inaugura uma nova seção: fotos do teatro. Além de publicar fotos de artistas e outros nomes importantes no TUCB, também vamos contar um pouco a trajetória de cada um. Se você tirou fotos por aqui, mande para a gente e conte um pouco da sua história . Não é preciso ser artista para viver o teatro. Envie um e-mail para teatrodaufpa@gmail.com, com sua(s) foto(s), nome e ocupação. Vamos publicar fotografias históricas do antigo prédio, de artistas, do público e de todas as outras pessoas que fizeram e fazer parte da memória fotográfica do Teatro Universitário Cláudio Barradas.

  • Cláudio Barradas –  destacada personalidade da trajetória do teatro no Pará, ator, professor e responsável por criar e dirigir diversos grupos trazendo contribuições teóricas, estéticas e práticas na forma do fazer teatral paraense. [fonte] O ator deu nome ao teatro da UFPA e também foi o convidado da primeira edição do projeto Ribalta, promovido pelo TUCB e produzido pela Academia Amazônia. [ clique aqui e leia mais sobre o projeto Ribalta]
  • Margaret Refkalefsky –  Doutora em Artes Dramáticas, diretora do Teatro Universitário e funcionária pública. Participou de várias peças com Cláudio Barradas e também faz parte de diversos projetos e atividades artísticas, como o Ribalta e o Auto do Círio. Possui graduação em Serviço Social pela Universidade Federal do Pará (1971) Especialização em gerência de projetos da área de pesquisa científica e tecnológica, mestrado em Arte Dramática – Université du Québec à Montréal (1997-2000). A diretora tem experiência na área de Artes, com ênfase em Teatro e Cultura Popular, atuando principalmente nos seguintes temas: figurino teatral, teatro dos pássaros. Amazônia. [fonte]




“Máquina” se apresenta essa semana no teatro

3 11 2010