TUCB lança DVDs da série Ribalta

15 12 2010

Texto e fotos: Caroline Soares


Foram seis meses de produção até o lançamento dos dois DVDs da Série Ribalta, realizado na segunda-feira, 13, em um coquetel, no Teatro Universitário Cláudio Barradas, da Universidade Federal do Pará (UFPA). O evento contou com a presença dos dois ilustres homenageados, o ator e diretor Cláudio Barradas e a professora de Dança Eni Corrêa, os quais autografaram as obras.

Uma das idealizadoras do projeto, a diretora Margaret Refkalefksy,  fez um discurso emocionado sobre o papel do Teatro Cláudio Barradas na comunidade. “Nós enfrentamos muitos obstáculos para construir este espaço, mas, graças à ajuda e contribuição de várias pessoas e de setores da Universidade, conseguimos cumprir nosso objetivo. Hoje, o teatro recebe montagens ousadas e permite trocas de experiências estéticas entre os artistas e o público.”

Profa. Eni Corrêa autografa DVDs

Além de artistas e amigos dos homenageados, o evento reuniu professores e estudantes da Escola de Teatro e Dança da UFPA (ETDUFPA). “O lançamento destes DVDs é importante porque celebra a nossa arte, genuinamente paraense, produzida por duas pessoas muito relevantes das artes cênicas.”, diz o estudante do curso técnico de Cenografia, Alex Blanco.

Para a pesquisadora e professora da ETDUFPA, Wlad Lima, o Projeto Ribalta é muito importante para a documentação da história do teatro e da dança no Pará. “Durante muito tempo, reclamávamos que, quando saía alguma publicação nacional sobre as artes cênicas, ninguém falava do Pará. Hoje, ‘acordamos’ e percebemos que nós temos que escrever a nossa própria história,” ressalta a pesquisadora. “Os DVDs do Projeto Ribalta possuem um grande potencial para contribuir com o conhecimento acadêmico e devem ser usados como recurso didático, como fonte de pesquisa. Para isso, é necessário que eles sejam disponibilizados o quanto antes na internet.”

Cláudio Barradas e João Jesus de Paes Loureiro

História – O Projeto Ribalta consiste na gravação de programas, nos quais uma figura importante para as artes cênicas é entrevistada por outras personalidades da área, simulando um programa de TV. O objetivo é documentar a memória da dança e do teatro paraenses.

O depoimento de cada personalidade forma mosaicos de tudo o que foi produzido nos últimos 30 anos no Pará. Além da entrevista, os DVDs também contam com extras, depoimentos de outros nomes importantes, fotos e recortes históricos de jornais.

A primeira edição teve como convidado o ator e diretor Cláudio Barradas, e a segunda, a professora de Dança Eni Correa. Ambos tiveram papel importante no desenvolvimento das artes cênicas no Pará, trazendo inovações técnicas, teóricas e estéticas.

Notícia também disponível em: http://www.portal.ufpa.br/imprensa/noticia.php?cod=4331





Bastidores do Projeto Ribalta

6 07 2010

Bastidores, momentos antes do ínicio da gravação.A professora Eni já está sentada no centro, rodeada pelas amigas e entrevistadoras.

A produção trabalha nos detalhes finais antes da entrevista com Eni Corrêa.





Para não esquecer

30 06 2010

Segunda edição do Projeto Ribalta resgata a memória da dança no Pará

Nos anos 70, a arte paraense já apresentava um grande desenvolvimento com relação ao cenário nacional e internacional. As artes cênicas traziam inovações teóricas e técnicas, o que possibilitou, posteriormente, a criação das escolas de Dança e Teatro no Estado. Todo esse percurso é revivido na segunda edição do Projeto Ribalta, que acontecerá no dia 1º de julho, às 19h, no Teatro Universitário Cláudio Barradas.

Iniciativa do Teatro Universitário Cláudio Barradas e Instituto de Ciências da Arte (ICA) /UFPA, em parceria com a Academia Amazônia e Faculdade de Comunicação da UFPA e com apoio da Pró -Reitoria de Extensão(Proex), o projeto consiste na gravação de diversos programas semelhantes a um programa de TV, em que uma figura importante para as artes cênicas é entrevistada por outras personalidades da área. A platéia também tem a possibilidade de participar, fazendo perguntas e interagindo com o convidado.

O projeto tem como objetivo documentar e preservar a memória do teatro e da dança na Amazônia, uma região pouco reconhecida pela sua produção nessa área. “Belém já teve várias realizações importantes, fomos vanguarda em muitas coisas, mas parece que é só no sudeste/sul do país que as coisas acontecem e que aqui apenas repetimos o que é feito lá.”, afirma a idealizadora do projeto, a diretora Margaret Refkalefsky.

O resultado final do programa será a gravação de um DVD com o programa, além de extras como depoimentos de outras personalidades da dança, fotos e recortes históricos de jornais, entre outros. Esse material se constituirá como importante fonte de pesquisa para estudantes e professores tanto do campo artístico, quanto comunicacional. “A Universidade tem o compromisso com a comunidade, é um serviço público. Dessa forma, ela tem que desenvolver projetos a partir do Teatro Universitário, como oficinas, programas e festivais para não ser um simples teatro, mas um teatro que colabora com a criação e divulgação do conhecimento das artes cênicas.”, explica a diretora.

Eni Corrêa, pioneirismo na dança

A entrevistada desta edição é a professora Eni Corrêa, grande nome da dança, fundadora e diretora por mais de uma década do Grupo Coreográfico da UFPA. A professora será entrevistada por outros nomes ilustres da área: Beth Gomes, Roberta Rezende, Sonia Massoud e Waldete Brito. Primeira edição: memória do teatro com Cláudio Barradas O projeto estreou com a gravação, em janeiro, da memória audiovisual do teatro paraense. O homenageado foi professor Cláudio Barradas, grande nome do teatro no Pará, ator, professor e responsável por criar e dirigir diversos grupos, trazendo contribuições teóricas, estéticas e práticas na forma do fazer teatral paraense.

  • Serviço:

1/07, às19h.

Teatro Universitário Cláudio Barradas – Rua Jerônimo

Pimentel, 546 (Esquina com a Dom Romualdo de Seixas). Entrada Franca. Para

mais informações: (91) 3249-0373 (horário: 14h às 21h)

Texto: Caroline Soares – Assessoria de Comunicação do TUCB

Arte gráfica : Edmir Amanajás