Machado de Assis, Internet e humor

5 04 2011

Texto: Caroline Soares – Coord. Produção e Comunicação ICA, com informações de Carlos Correia.


Peça usa diversos recursos para aproximar o público das obras de Machado de Assis

Em 2008, o país comemorou o centenário de morte de Machado de Assis, considerado um dos melhores escritores brasileiros de todos os tempos. Suas obras são repletas de personagens complexos, que vão desde a misteriosa Capitu, de Dom Casmurro, até Brás Cubas, que recheia as páginas de Memórias Póstumas de Brás Cubas com seus comentários sarcásticos pós-túmulo.

Embora o autor, um dos fundadores da Academia Brasileira de Letras, seja reconhecido pelo meio intelectual brasileiro até os dias atuais, o grande público ainda apresenta dificuldade de acesso às obras machadianas. O ritmo frenético da vida da maioria da população se torna um obstáculo à leitura, uma atividade que exige tempo e reflexão.

Pensando em uma solução para aproximar o gênio da literatura brasileira ao público, foi produzida a peça O Assassinato de Machado de Assis, uma “comédia policial” que estreia dia 8 de abril no Teatro Cláudio Barradas. Escrito pelo dramaturgo Carlos Correia, o espetáculo usa o teatro como estratégia para levar a literatura às pessoas: com cenas de humor e mistério, os personagens de várias obras machadianas são apresentados à plateia.

Personagens de várias obras se tornam suspeitos do crime

A história começa com Capitu conversando com o detive Queiroz para revelar que Machado de Assis não morreu de causas naturais. Segundo a personagem, o autor foi, na verdade, assassinado. A partir dessa afirmação, toda a história começa a se desenrolar na tentativa de resolver o mistério.

Os suspeitos são os outros personagens das obras de Machado de Assis, como Simão Bacamarte, o cientista em busca da loucura, de O Alienista. Os motivos que levaram ao assassinato também são um mistério: seria inveja ou maldade? Mais do que tentar responder a essas perguntas, o espetáculo propõe uma apresentação sutil e divertida do universo machadiano.

Internet aumenta suspense

Além da peça, a produção do espetáculo, o Coletivo  Parla Palco, usa a internet como estratégia de aproximação com a população. A todo o momento, o perfil no twitter dá dicas sobre o possível responsável pela “morte” de Machado de Assis e o blog publica “opiniões” dos personagens suspeitos, provocando e envolvendo o público em torno da trama.Clique aqui. Para acompanhar os tweets e clique aqui para ler o blog.

  • Serviço

Espetáculo O Assassinato de Machado de Assis

Teatro Universitário Cláudio Barradas (Jerônimo Pimentel, 546)

Dias 8, 9, 10, 15, 16 e 17, às 21h.

Ingresso: R$ 20,00

Anúncios




Pássaros lutam por reconhecimento

18 06 2010

Por Felipe Cortez, estudante de jornalismo e brincante de pássaro junino

Foto: grupo Tucano/ Divulgação

Para Iracema, guardiã do Tucano, o Teatro de Pássaro Junino, que também é conhecido como Teatro Melodrama Fantasia, carece de atenção não apenas das autoridades, mas do paraense de um modo geral, que pouco conhece a respeito das culturas populares locais. “O Pássaro precisa ser olhado, ser apresentado, ser amado, porque ele é único, só tem aqui, é um orgulho do Pará. Mas para ele ser amado, ele precisa ser conhecido. Por isso, convidamos toda a sociedade a participar da festa que não apenas é a temporada do Pássaro Tucano, mas das apresentações dos mais de vinte que estarão voando sobre Belém em junho”. E Ester Sá, que vive pelo terceiro ano a folia do Tucano, diz que espera poder escrever novos textos para o grupo de teatro junino, mas, também, incentivar os demais brincantes a fazer o mesmo. “O Pássaro Tucano tem uma turma muito jovem e talentosa, que tem tudo para fazer perdurar esta tradição muitos e muitos anos, a continuar a atravessar gerações”.

O grupo também convida todos a conhecer o recém aprovado Ponto de Cultura Heranças do Velho Chico, no bairro do Telégrafo, onde a comunidade de brincantes realiza os ensaios. “Ao longo de 2010 realizaremos oficinas de artesanato, dança, interpretação, audiovisual, entre outras atividades, e convidamos a comunidade a ocupar este que sempre foi um ponto de cultura, ainda que pouco conhecido”, declara Iracema Oliveira. O espaço homenageia Francisco Oliveira, mestre da cultura paraense, pai de Iracema, Guaracy e Raimunda, as irmãs Oliveira, todas guardiãs do Pássaro.

Os próximos pontos de pouso onde o Pássaro Tucano vai realizar suas apresentações serão a comunidade Imperial (dia 20, às 18h), no Jurunas, os teatros Gasômetro e Cláudio Barradas (ambas as apresentações no dia 27, às 18h e 20h, respectivamente), e, em um último pouso antes de retornar às matas, o Ponto de Cultura Heranças do Velho Chico, dia 3 de julho





Espetáculos discutem nascimento de Jesus e natureza humana

11 06 2010

Texto: Caroline Soares *

Fotos: Divulgação

Um homem e uma mulher prestes a dar a luz encontram abrigo em uma manjedoura. Esse homem se chama José e a mulher, Maria. A história é mais do que conhecida: o nascimento de Jesus, comemorado dia 25 de dezembro no ocidente. Mas, e se essa mesma história fosse recontada a partir de outra perspectiva?

É esse o objetivo da Companhia Nós Outros ao trazer a peça teatral O Glorioso auto do nascimento do Cristo-Rei – Sêxtuplo, dia 18/06 no Teatro Universitário Cláudio Barradas. Independente de qualquer ideologia ou crença,  a história dessa vez não é contada por um narrador onipresente e desconhecido, mas pelo próprio Diabo. Assumindo sua natureza de Tentador, ele parte na tentativa de impedir o nascimento do Menino Jesus, da Anunciação até seu confronto final com Gabriel, Arcanjo do Senhor.

  • E por que sêxtuplo?

“Sêxtuplo é tudo aquilo que é seis vezes maior que o outro. Seis é a harmonia. O equilíbrio entre a matéria e o espírito, entre a estética e a sensibilidade. Seis representa a justiça, a beleza, o amor e a família. Sêxtuplo é a sexta edição de O Glorioso auto do nascimento do Cristo-Rei”

A Companhia trás além desse, um outro espetáculo para o Teatro Universitário.  Exercício Nº 01: O Homem do Princípio ao Fim motivado  pela pergunta  “Mas o que é o homem que ainda não conseguiram decifrá-lo?”, feita por Millôr Fernandes.

Mesclando o texto original com os sentimentos, sensações e impressões de quatro atores,nasceu um trabalho que fala do ser humano desde sua origem mítica até seu suposto final, passando por sentimentos tão díspares e complementares quanto amor e ódio, medo, vingança, solidão, paixão, a alegria e a saudade. Poucas vezes estivemos tão perto de nós mesmos e daqueles que nos observam, numa ousadia compensada pela cumplicidade de quem nos assiste e se identifica conosco. Consigo mesmo.

Este espetáculo é resultado do projeto permanente de formação e pesquisa em artes promovido por esta companhia, coordenada por Adriano Barroso e em parceria com diversos profissionais de artes cênicas em Belém, tais como Aílson Braga, Henrique da Paz, Aníbal Pacha, Miguel Santa Brígida, entre outros.

  • Workshop

Para finalizar, a Companhia trás no dia 20/06 o Workshop  Trabalho do ator em cena, ministrado por Adriano Barroso. O objetivo desta atividade é divulgar o programa permanente de formação de atores iniciado em 2007 pela companhia e que tem contribuído para o aprendizado no fazer teatral, estudo de suas diversas escolas, linguagens, etc.

O workshop será constituído inicialmente de uma preparação corporal, com exercícios de alongamento, aquecimento e dança, seguido de jogos teatrais, de improvisação, exercícios vocais e de interpretação. É necessário o uso de roupas adequadas à prática de exercícios físicos. Os participantes ainda poderão aproveitar um coffe break produzido pela Companhia Nós Outros.

  • Serviço

O glorioso auto do nascimento do cristo-rei – sêxtuplo – 18/06, às 20h. Ingresso : R$20(inteira) e R$10(meia p/ estudantes e artistas).

Exercício n° 1 : o homem do princípio ao fim – 19/06, às 20h. Ingresso : R$20(inteira) e R$10(meia p/ estudantes e artistas).

Workshop : O trabalho do ator em cena – 20/06, das 9h às 13h.Ingresso : R$20(inteira) e R$10(meia p/ estudantes e artistas).

Ingressos antecipados até o dia 15/06 recebem 50% de desconto.

* Com informações da produção da companhia.